Cidadão Paulistano

O pastor Hélio Schwartz Lima recebeu em 23 de setembro de 2014 o título de Cidadão Paulistano na Câmara Municipal de São Paulo, em Sessão Solene de iniciativa da vereadora Patrícia Bezerra (PSDB).

Nascido em 1943 na cidade do Rio de Janeiro, Schwartz viveu seus primeiros anos no Morro do Engenho da Rainha, bairro de Inhaúma. É o filho mais novo de pais operários e começou a trabalhar muito cedo.

Aos dezessete anos, ingressou na brigada paraquedista, onde serviu por três anos. Mas aos 24 anos, por vocação, decidiu matricular-se no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, sediado no Rio de Janeiro. Três anos depois se formava como bacharel em teologia. Assim teve início sua vida pastoral. (fonte: CMSP)

Escolinhas de futebol

Para evitar a exploração de crianças e adolescentes no mundo esportivo, a vereadora Patrícia Bezerra (PSDB) defende a regulamentação das escolinhas de futebol para jovens entre cinco e 17 anos. Esse é o objetivo do Projeto de Lei (PL) 199/2014, de autoria da parlamentar, em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo.

De acordo com a proposta, a escolinha deverá oferecer materiais, organizar suas atividades conforme idade dos alunos, ter autorização dos pais e realizar exames médicos periódicos nos alunos. Os alojamentos deverão garantir o direito à privacidade de cada um, com no máximo duas pessoas por quarto. Além disso, nenhum jovem poderá trabalhar gratuitamente, em troca do alojamento ou de testes que possam vir a ser oferecidos.

“Ludibriados pelo sonho de fama e riqueza em um grande clube, as crianças são afastadas de seus pais, levadas por olheiros para outros estados brasileiros com a promessa de se tornarem o próximo Ronaldo ou Neymar”, justificou a vereadora.

Se o projeto for aprovado, situações como a que aconteceram em 2012 com atletas da Portuguesa Santista poderão ser evitadas. Na época, o time foi acusado por utilizar jogadores mirins em campeonatos estaduais sem oferecer serviços como alimentação e atendimento médico.

Para Patrícia, essa situação não pode continuar. “Infelizmente o trabalho infantil está muito presente no cenário brasileiro e o esporte não foge a essa regra”, afirma.

fonte: CMSP

Plano diretor. Como votou?

A Câmara aprovou em 30 de junho, em segunda e definitiva votação, o projeto do novo Plano Diretor da cidade de São Paulo, que define as diretrizes da política urbana do município nos próximos 16 anos.
Dos 55 vereadores paulistanos, 44 votaram a favor, 8 contra e 3 não votaram.
A vereadora Patrícia Bezerra votou contra.

Fonte: CMSP

Apitaço contra o abuso

A Comissão de Saúde da CMSP debateu em 23 de abril, a proposta da vereadora Patricia Bezerra (PSDB) contra os abusos à mulheres no transporte público através da criação do movimento: “Não agrida, apite”, inspirado em uma campanha de Recife.

Segundo a vereadora “as mulheres receberão um apito e quando se sentirem agredidas, apitarão. As demais mulheres vão apitar em solidariedade. Essa foi uma campanha feita no Recife para combater violência doméstica que teve um êxito enorme, inclusive com várias prisões em flagrante, e a gente quer trazer para cá esse modelo”.

Alargamentos de ruas para atender corredores de ônibus. Como votou?

A Câmara aprovou na tarde desta terça-feira (18/3), em primeira votação, o Projeto de Lei (PL) 17/2014, que altera os alinhamentos de diversas vias da cidade para a implantação de 17 corredores de ônibus. O texto original foi alterado por uma emenda que retirou a previsão de alargamento da avenida Nossa Senhora do Sabará, na zona sul, medida que vinha enfrentando a oposição de moradores e comerciantes da região.

O projeto do Executivo recebeu 36 votos a favor, 10 contra e 1 abstenção. O texto ainda precisa passar por uma segunda votação em plenário antes de seguir para a sanção do prefeito Fernando Haddad.

Para a oposição, no entanto, a medida não é suficiente. O PSDB tentou aprovar um substitutivo que contemplava o alargamento de apenas nove vias. “Nós queremos que o governo fatie o projeto. A solução é fazer os corredores que estão previstos no orçamento, que têm recursos. Não existe motivo para aprovar todos os alinhamentos agora se as obras começarão em anos”, declarou o líder dos tucanos, Floriano Pesaro.

Nabil Bonduki (PT) defendeu que a aprovação conjunta é importante para o planejamento da cidade, pois construções ou reformas precisariam seguir os novos alinhamentos desde já. “É uma precaução para que não seja construído algo que seja incompatível com o que está planejado para essas vias no futuro”, afirmou.

A vereadora Patrícia Bezerra (PSDB) votou CONTRA.

Fonte: Câmara Municipal de São Paulo

Salários abertas

O sítio da Câmara Municipal de São Paulo publica os salários e custos dos mandatos dos vereadores.

A seguir segue a remuneração dos servidores e comissionados no gabinete da vereadora Patricia Bezerra, referentes a janeiro de 2014.

—————

Detalhes da remuneração de PATRICIA GAMA DE QUADROS BEZERRA referente a 1/2014

 

Remuneração do mês

Remuneração bruta do mês*

R$ 15.031,76

Remuneração bruta

R$ 15.031,76

Contrib. Previd. (11% INSS)

R$ 482,92

Imposto de renda

R$ 3.075,94

Remuneração líquida

R$ 11.472,90

Crédito final ao servidor

R$ 11.472,90

Tempo de contribuição na CMSP

1 ano(s), 1 mês(es) e 2 dia(s)

 

* Remuneração bruta com desconto de afastamentos e faltas, limitada ao Teto Salarial conforme artigo 37 inciso XI da Constituição Federal, se não houver decisão judicial em contrário.

—————

Imagem

 

Imagem